sábado, 5 de maio de 2018

HOMENAGEM POÉTICA A MARX










No dia em que se comemoram os duzentos anos do nascimento de MARX, resolvi publicar no meu blog um conjunto de sete poemas que o homenageiam. Foram publicados, pela primeira vez, no meu  livro Sete Caminhos , editado pela Fora do Texto[Centelha] em Fevereiro de 1996. Era eu então deputado na Assembleia da República pelo Partido Socialista.


AO JOVEM  MARX

ousaste e viste
esse grito cercado que morria
cansado nas gargantas que o fechavam

ousaste e viste
esse grito cercado que crescia
liberto das gargantas que o calavam

abriste  a flor do fogo e a tempestade
e foi enorme tudo o que era simples


UMA VELHA FOTOGRAFIA DE MARX

Melancólico   chega de outro tempo

trazendo no fundo dos seus olhos
um sopro  subtil de ternura

É apenas um homem que nos olha
arguto
abrindo  as portas do mistério

E assim sabemos que no fim de tudo
paixão
é querer recomeçar


DE  MARX  PARA ENGELS

Se um muro passasse
a meio de nós

uma parte de mim
estaria do teu lado


MARX  EVOCA  ROSA  LUXEMBURGO

Foste a rosa do vento repartida
entre  o sonho mais largo e a revolta

Em ti desabrochou a tempestade,
mas, na hora do medo e do terror,
colheu-te o teu destino e o cão da História.

E no mais alto livro da memória
escreveu-se  a triste dor do teu caminho.


MENSAGEM   DE  MARX  A  TROTSKY

Os anos não morreram no teu peito.
Foste buscar o tempo, não esperaste.
Não esqueceste o futuro um só momento.
Ousaste a tua vida sem fronteiras.
Subiste a História como quem conquista.
Perdeste o teu olhar no horizonte,
rasgando cada dia mais além.

Não viste esse bolor que te envolvia,
sujo tempo das sombras que cercavam.

E tudo se perdeu, quando perdeste.


CARTA DE MARX A GRAMSCI

Ousaste as minhas ideias como se fossem as tuas,
com esse rigor aberto dos mercadores, dos poetas,
com esse sul nascido de palavras e de estátuas.

Com teu extremo vigor,    porém tão leve,
rompeste o labirinto das ciladas.

Soubeste ser subtil, sendo inteiro.
Foste nós,   pensando o outro lado.

Foste sonho dentro das ideias,
Política medida, verso a verso.

Em ti senti a própria liberdade
e fui ao fundo do que mais sonhei.


PENSAMENTO   DE  MARX  SOBRE  GUEVARA

Uma asa de angústia no olhar
e  um sonho tão urgente que doía.

Seu largo coração aberto ao sul
sofria em si a dor de um continente.

Um puro diamante de revolta,
na solidão das Américas.


1 comentário:

Jorge de Sá disse...

Rui: aqui vai o meu abraço solidário e um pequeno contributo sobre Marx. Jorge de Sá.
KARL
Um tempo sem tempo
Um sofrimento
Arrastado, contínuo no tempo
Sol a sol, dor a dor
De suor sofrido, explorado
Mais valia de corpo fecundo
Coletivo futuro anunciado
Unido em todo o mundo,
Libertado!