sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

A SAUDADE EM FOTOGRAFIAS



Anos setenta: o meu pai ( António Namorado) e eu.


Em 1965, em Loureiro de Silgueiros, nas "bodas de prata" dos meus pais, 
os meus tios Egídio Namorado e Rui Clímaco.

No terraço da República dos Pyn-güyns, na festa da minha formatura 
em julho de 1968,Alberto Martins, Rui Martins, Joaquim Namorado, 
Artur Jorge, Florinda e, ao fundo em pé, António Namorado.

                    Na mesma festa, um outro ângulo: Joaquim Namorado fala.; de costas, o Artur Jorge e a Florinda ouvem; o mesmo acontece com o Rui Martins e com o Alberto Martins. Depois, o Armando de Figueiredo diz qualquer coisa ao Celso Cruzeiro que reflecte com circunspecção; logo atrás um menino olha para o que tem na mão, meu irmão Tó Zé, na altura o "menino reboredo", como ele não gostava nada que lhe chamassem ( hoje, ilustre médico anestesista).



Uma  terceira  fotografia da mesma festa. Sentados, os mesmos, com o Figueiredo encoberto. O Tó Zé, agora de costas, fala comigo, que apareço ao fundo. Em pé de óculos escuros Jorge Loureiro ( o Jorge Limpiao); e depois o meu pai, parecendo estar a ouvir o irmão. Espreitando por detrás dos seus óculos , entre o Jorge e o meu pai, uma menina muito pequenina: a Isabel Clímaco.
.