quinta-feira, 7 de janeiro de 2021

Pingos de insalubridade em debates

Em dois dos debates presidenciais televisivos de ontem ocorreram dois pequenos incidentes a que poucos terão dado importância. Num deles Clara de Sousa interpelou o presidente Marcelo, exprimindo uma posição partilhada com André Ventura a propósito de uma das ninharias mediáticas que fizeram a agenda política nos tempos recentes. No outro, Carlos Daniel interpelou Ana Gomes reproduzindo a vulgata neoliberal quanto à problemática económica a qual reflete ostensivamente as posições políticas da direita . Fizeram-no no decurso debates que estavam a mediar , situação que aumentava a imperatividade do seu dever jornalístico de imparcialidade. Psicologicamente, podem até ter agido sem intenção de prejudicar ou beneficias qualquer dos protagonistas . Objetivamente, assumiram-se como participantes ilegítimos num debate político institucional. São duas figuras jornalísticas conhecidas e reputadas, o que sublinha a gravidade do que se passou. Não pelos episódios em si mas por aquilo de que são sinais e sintomas: a crescente degradação da qualidade do jornalismo televisivo e o seu alinhamento com a agenda política da direita. Esta crescente insalubridade do espaço mediático português é tanto mais insuportável quanto dele se espera um contributo essencial para o desenvolvimento sociocultural e para a melhoria da qualidade de vida do nosso país.

1 comentário:

Belinha Ruiz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.