terça-feira, 2 de junho de 2009

Pixordices 26- Parcialidade subtil

Desde que o “Público” começou a ser publicado, devo tê-lo comprado em mais do 99% dos dias. Nunca foi o jornal ideal ( se é que isso existe), mas os outros pareciam-me piores. Pouco a pouco, a minha empatia com o jornal foi esfriando, até restar pouco mais do que um hábito de o ir comprando dia após dia.

O seu director ganhou notoriedade como um dos expoentes mais retintos da ideologia neoliberal. Os jornalistas de qualidade que integram o seu corpo redactorial não se evaporaram ainda todos, mas começam a rarear. Nos artigos de opinião há um pluralismo enviesado que aponta para uma hostilização ao PS, a partir de uma perspectiva situada à sua direita.

Mas o “ Público” não é um jornal tendencioso primário. É um jornal subtilmente tendencioso. Quiçá, mais eficaz, esse tipo de parcialidade não pode ser encarada com bonomia.

Vejamos um exemplo que ilustra bem o que dissemos. Sabemos que as sondagens dão uma vantagem à direita espanhola relativamente aos socialistas, aproximadamente igual àquela que dão em Portugal ao PS, em face do PSD.


No entanto, para o “Público” as coisas não são bem assim. Vejamos.

Na sua página 10 da edição de ontem, dia 1 de Junho, num destaque que funciona como verdadeiro subtítulo diz:”É a hora da dramatização para PS e PSD , que vão praticamente lado a lado”.
Na página 13 da mesma edição, num título de um pequeno texto diz:”Sondagens em Espanha dão vantagem ao Partido Popular”.

O “Público” pode querer ser uma sucursal hábil do “Povo Livre” e pode estar possuído por uma forte paixão pela direita espanhola, admitindo-se até que seja levado a transformar-se numa espécie de caniche de luxo do Engenheiro Belmiro, mas não pode continuar a ostentar uma patine de esquerda, ainda que ligeira, já que dela só pode realmente ter ficado alguma saudade.

1 comentário:

André Pereira disse...

O Público "já era"... só um novo director e uma pequena revolução naquela redacção pode recolocar esse jornal no patamar que alcançou nos primeiros anos... mas que veio perdendo desde 2002/2003...