quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Apanhados ou ofendidos?



Divulguei o texto acima reproduzido no Grande Zoo, no passado dia 17 de Setembro, tendo sublinhado, no respectivo comentário, que ele reflecte uma posição ideológica da qual se aproximam as posições de Manuela Ferreira Leite.

Foi este mesmo texto que José Junqueiro leu no Comício do PS, realizado ontem em Viseu. Não sei se quem mo enviou também o enviou a ele, ou se o conheceu a partir do meu blog. O que sei é que a reacção de fingida indignação do PSD, ao que se passou em Viseu, subentendendo que JJ conotou MFL expressa e directamente com o salazarismo, ou é precipitada ou é uma simples cortina de fumo para esconder um real embaraço.

De facto, como a Televisão mostrou, JJunqueiro leu o texto de Salazar sem dizer quem era o seu autor. Os participantes no Comício julgaram que ele era um texto de MFL e apuparam-no. Foi então que JJ revelou que, ao contrário do que pareceram julgar, o texto não fora escrito ou dito por MFl, já que fora escrito em 1928, não se lembrando ele quem era então o chefe de governo seu autor.

Ou seja, tendo sido lido um texto de Salazar, escrito em 1928, os participantes no comício do PS, espontaneamente identificaram-no como sendo de autoria da actual leader do PSD. Aliás, qualquer leitor encontrará óbvia proximidadee entre o texto de Salazar e vários aspectos do discurso de MFL. Esta realidade é incontornável e objectiva, não traduzindo nenhuma imputação caluniosa a MFL. Revela uma das raízes ideológicas do seu discurso, através de uma evidência objectiva.

É pois despropositado dizer-se que JJ tenha afirmado ou sugerido que uma vitória do PSD representaria o regresso ao salazarismo. Não o disse, pelo que não faz qualquer sentido lutar-se contra o que ele não disse.

De facto, o que está em causa é a evidência de uma deriva direitista do discurso de MFL e da sua pobreza ideológica, bem como da inconsistência da sua cultura política e do conservadorismo da sua atitude ideológica, cujo código genético assim se revela.

3 comentários:

JMV disse...

Precisamente. É irrefutável e, sendo-o, ou se aceita e labora consequentemente sobre tal "inspiração" ou se nega uma evidência.

Repudiar ou não assumir em público essa fortíssima e vincadíssima marca talassa, como tem sido feito por algum deste pretenso psd (o genuíno e democrático PSD escrevo-o com maíscula; não este) representa apenas mais uma triste mentira que conduz à descrença mesmo entre os fiéis.

JMC Pinto disse...

Meu Caro Rui

Também aqui fui pioneiro. Divulguei esse texto no dia 11 de Setembro
http://politeiablogspotcom.blogspot.com/2009/09/nao-e-plagio.html
Abraço
CP

RN disse...

Caro Correia Pinto:

Recebi de Bruxelas, em 7 de Setembro, enviado pelo Joaquim Marques da Silva, o texto do Salazar que mais tarde difundi no meu blog.

A fonte não foi portanto o teu blog. Por isso, não referi a tua postagem, que lamentavelmente me escapou. Só agora tive conhecimento dela através do teu alerta.

Um abraço.

Rui Namorado