domingo, 7 de maio de 2017

Poema da ausência de Nuno Brederode



Poema da  ausência  de Nuno Brederode

A palavra
A ligeira brisa de um sorriso quase a chegar
A lâmina de um pensamento  nítido  e limpo
O jogo  esse xadrez supremo da política
A feroz elegância no combate
Entrar nos labirintos e pensá-los   respirar e sair
Subir a solidão dos dias sem os magoar
Caminhar com curiosidade e esperança
Olhar com ironia o coração dos tempos
Talvez outros futuros desejados na História por fazer

1 comentário:

Maria Fernanda Campos disse...

Memória justa e autêntica.