segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Demissão misteriosa


Com a devida vénia, transcrevo do site do DN de hoje o seguinte texto:


" O embaixador de Portugal na UNESCO confirmou que foi "demitido" do cargo, recusando comentar uma decisão de que tomou conhecimento "pela notícia da agência Lusa".
"Soube da demissão pela notícia da Lusa", declarou o actual embaixador português na agência das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura, com sede em Paris.
Questionado sobre se a demissão resultou da entrevista de fundo publicada no sábado pelo semanário Expresso, Manuel Maria Carrilho afirmou que "as evidências não precisam de resposta".
Manuel Maria Carrilho é autor de um novo livro de análise da situação de Portugal, que a editora Sextante colocou hoje nas livrarias portuguesas.
Um comunicado da Sextante distribuído hoje anunciava que "Manuel Maria Carrilho acaba de ser demitido das suas funções como embaixador de Portugal na UNESCO, devido à publicação do livro E AGORA? Por uma nova República".
"Neste livro, o autor analisa a situação económica, social e política portuguesa e avança com diversas propostas, defendendo uma visão do país e do seu futuro centrada na urgente qualificação do território, das instituições e das pessoas que lance as bases de uma Nova República", acrescentava o comunicado da Sextante.
Fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse hoje à Lusa que a saída de Manuel Maria Carrilho da UNESCO se enquadra numa rotação de diplomatas em diversas capitais.
O ex-ministro da Cultura foi nomeado embaixador junto da UNESCO em Abril de 2008 e será agora substituído por Luís Filipe Castro Mendes, até agora a chefiar a embaixada portuguesa em Nova Deli."

************

A atitude seráfica do Ministério dos Negócios Estrangeiros deixa-me a pulga atrás da orelha. São demasiadas coincidências e uma demissão demasiado expeditiva para que me não cheire a esturro.


Muitas vezes não concordei com Manuel Maria Carrilho em posições que tomou, mas nem pela cabeça me passa que alguém nas instâncias do poder socialista possa considerar descartável o contributo político, ideológico e cultural da MMCarrilho.


Querem continuar a desencorajar a criatividade dentro do PS? Querem ir confinando cada vez mais o partido a um orfeão de previsibilidades ?


Se não querem, expliquem muito bem o que aconteceu...

1 comentário:

Nuno Manuel Costa disse...

Caro Amigo, talvez aqui encontre a explicação:
http://pedroroloduarte.blogs.sapo.pt/161877.html

Abraço.